o homem não é

*

o

homem 

não

é

(aliás) 

nada somos

se

perante o rápido evoluir    do largo mundo 

e do (seu) múltiplo fervilhar

em redor 

de nós

nada  

nos move   (ou) impele

em

combate

(de)

contra

o

tempo

esse curto  efémero  (e) inesperado tempo

que nos é dado

viver

ou

permaneceremos   meros espectadores

de um tempo

que

alguém nos disse

tudo cura(r)?!

.

o

homem

nada

é

se

como humano 

não  

se transmuda

numa

qualidade

melhor

num

ser

(mais)

pleno

.

pleno

no

quanto

o

dia

(nos)

exige

esmaga

mas

ergue

.

pleno

(sempre) na procura  

da almejada  

perfeição

que mais

não

é

do que um caminho

de exigência

(de ti

mesmo)

em

direcção

ao

futuro

.

ao futuro   de nós  próprios

– enquanto indivíduos   e comunidade –

ao futuro   de toda  a humanidade

.

Filipe Chinita

 

Outras obras:

Gente povo todo o dia

Cantata pranto e louvor

 

Anúncios

7 comentários a “o homem não é

  1. “Unidos diz o Poema. Condição urgente da humanidade,leio eu no Poema. Acrescento: “…por um florescimento do que há de melhor no homem e por um desenvolvimento sempre crescente de todas as suas qualidades potenciais…,numa palavra a CONQUISTA DA LIBERDADE.” Palavras de Bento Jesus Caraça, em 1939. Terceiro milénio e o homem não se cumpre.
    fdc (1945)

  2. Abraço Filipe.
    Acompanho-te. Quem não luta e constroi o futuro, morre sempre no ontem, escravo, simplesmente, escravo e nunca como um homem livre.
    andrade da silva

  3. Olhos de trigo a voar

    sobre a miséria e a fome

    sem saberem germinar

    entre as mãos de quem não come

    espanto de sonhar o pão

    ou ser leite maternal

    transformar-se em coração

    num mundo sem ideal!

    sonho de trigo, campina

    futura seara ao vento

    pr’a levantar mais acima

    o amor e o pensamento.

    Marília Gonçalves

    • obrigado marília, apesar de não nos conhecermos. basta-me que amigos meus, a tomem como amiga. sobra, a beleza da sua poesia. a que tem dentro de si. liberte-a sempre.

  4. um grande abraço revolucionário, poetas revolucionários, só podem ser mais que amigos: irmãos, pela rude mas bela tarefe que nos cabe, acender os olhares ainda apagados e dar sempre que possível, alegria e ternura à luta dos companheiros

    Marília Gonçalves

  5. Tomai poetas a fala

    de forte resolução

    não tem razão quem se cala

    ao ver o mundo que exala

    por falta de opinião.

    Morre à sede uma criança

    entre os milhares que se vão

    poetas gritem a esperança

    fazei dos versos canção.

    A justiça é uma balança

    que não nos pesa a razão.

    Outra além morre de fome

    e nós deixamos morrer

    poetas gritem seu nome

    que nenhuma força dome

    a razão que tem de ser.

    Poetas, erguei a voz!

    Morre o mundo em todos nós.

    Marília Gonçalves

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s