Luta de massas, acção partidária, censura à política de direita

Anúncios

A Policia Europeia !

 
«Existe um EXÉRCITO SECRETO EUROPEU, que também pode ser chamado de FORÇA SECRETA POLICIAL DE INTERVENÇÃO PARA O ESMAGAMENTO DE REVOLTAS NA EUROPA.

Já se encontra dentro da União Europeia, porém apenas muito poucos sabem disso.

A força possui os mais amplos direitos, tem de momento 3.000 homens e responde pelo nome de “EURO GENDFOR (EUROPEAN GENDARMERIE FORCE)”, ou seja, TROPA DE POLÍCIA EUROPEIA. O seu comando encontra-se em Vicenza, na Itália, longe do Centro da UE.

Quem deu vida a este projecto foi a Ministra da Defesa Francesa, Alliot-Marie, com o objectivo de mais facilmente esmagar levantamentos populares, como os que têm surgido frequentemente em cidades francesas.

Esta força, já existente, pode agora ser empregue por toda a União Europeia, anulando os direitos nacionais e as soberanias dos Estados Membros!

O Tratado de Velsen (Holanda), decidiu de forma inequívoca, que vai ser um CONSELHO DE GUERRA, que vai decidir sobre a sua actuação. Este conselho compõe-se dos Ministérios de Defesa e de Segurança dos países membros da UE, inclusivamente do país onde vai ser aplicado.

Aos olhos dos observadores trata-se de uma clara manifestação de um DIREITO DE OCUPAÇÃO DA EUROPA. Porque, desde que tenha sido decidido por unidades da EURO GENDFOR a ocupação de edifícios e regiões, ficam estas debaixo da sua alçada, já não podendo sequer ser visitadas pelos organismos oficiais do país a que territorialmente pertencem. De facto, existe assim um DIREITO DE OCUPAÇÃO EUROPEU. Porém, a situação pode vir a piorar ainda mais.

A EURO GENDFOR não possui apenas os direitos policiais, mas também a competência sobre os serviços secretos, e, pode, em estreita colaboração com forças militares, restabelecer a lei e a ordem nas zonas consideradas convenientes. Em caso de necessidade, deve esta tropa possuir todos os direitos e acessos a todos os meios considerados necessários, para executar o respectivo mandato.

Graças à EURO GENDFOR encontram-se os governos europeus à vontade. Desta forma podem ordenar o abrir fogo contra as próprias populações em caso de demonstrações de massas, colocar regiões inteiras sobre quarentena militar e prender os principais cabecilhas, sem ter de chamar militares, ou polícias, da sua própria nação, visto existir o perigo destes se solidarizarem com os revoltosos.

A EURO GENDFOR, por sua vez, graças às suas excepcionais atribuições de direitos civis e militares, não pode ser responsabilizada por ninguém.

Este cenário, que parece incrível, tornou-se agora possível através da entrada em vigor do TRATADO DE LISBOA, que não é mais do que a Constituição da UE sob novo título.»

Esta noticia deixou-nos particularmente curiosos, tendo alguns dos membros ido investigar melhor e, eis o que se descobriu acerca desta temática: http://www.eurogendfor.eu

Sidónio Candeias
por Blogue da Emigração Publicado em Geral

Luta na rede?

Para que os utilizadores deste meio não se transformem em impúberes perpétuos, constituindo o mesmo uma forma mais de coartar a emancipação do futuro, evitando o risco de que nos situem como personagens de uma obra de Redol, como por exemplo “Avieros”, onde um puto protagonizava cenas como esta:

-O que foi?

O rapaz olhou à volta e não respondeu.

– Viste bicho?

O Zé negou com a cabeça e começou a puxar pelo pai, que lhe percebeu o susto.

– Aqui há sombra.

– Não gosto de sombra.”

Aqui fica um texto Comunista, do Camarada Ângelo Alves, publicado no orgão central do meu partido, Avante!, um texto que vem reforçar claramente a importância de continuar:

www.imperialismo.com 

 “Assinalou-se na passada terça-feira o «Dia europeu da internet segura». Perguntar-se-á o leitor e bem sobre qual a sua utilidade. Resultando sobretudo das pressões dos lobbies, cumprindo os objectivos da agenda política e ideológica da burocracia de Bruxelas e servindo essencialmente para desviar atenções do essencial, existem dias e anos europeus para todos os gostos, a esmagadora maioria deles completamente inúteis.
Mas – e voltando ao tema – como até pensamos que a internet segura é um tema importante, ocorreram-nos nesse dia algumas questões. Aqui ficam elas: Será seguro que 9 dos 12 servidores que asseguram a nível mundial o funcionamento da internet estejam localizados no mesmo país, os EUA? Será seguro que a gestão da internet a nível mundial esteja nas mãos da ICANN, uma Organização do Departamento de Comércio dos EUA? Será seguro que a Google – que protagonizou recentemente uma «guerra» contra a China – tenha realizado um acordo de com a Agência de Segurança Nacional dos EUA? Porque será que 90% das mensagens do protesto twitter contra Chávez – apresentado como um exemplo de mobilização dos venezuelanos «livres» – partiu ou dos EUA ou da Colômbia? E porque será que o mesmo aconteceu relativamente ao Irão? Será seguro que o Facebook seja legalmente proprietário, com direitos de transmissão e venda, de todos os dados dos seus utilizadores e que a maior rede social do mundo seja gerida por uma empresa privada acusada de ter ligações indirectas à CIA? Porque será que o Departamento de Estado norte-americano considera a Internet uma questão de segurança nacional e a NATO irá incluir o tema da segurança cibernética no seu conceito estratégico?
Curiosamente, ou nem por isso, nenhuma destas questões foi sequer tocada no dia europeu. E isso suscitou-nos uma dúvida final: será porque se está a passar com a internet exactamente o mesmo que aconteceu noutros momentos da História mundial? Ou seja a apropriação pelo capital e pelo imperialismo das conquistas civilizacionais da ciência e da técnica, transformando-as em instrumentos de domínio e opressão dos povos? De facto, a luta de classes expressa-se de muitas formas, até em megabytes.”

Mário Pinto
por Blogue da Emigração Publicado em Geral

SILVA LOPES, 77 ANOS, NOMEADO ADMINISTRADOR DA EDP RENOVÁVEIS.

(Por Sidónio Candeias)

 A pouca vergonha continua. Ao que isto chegou.

SILVA LOPES, com 77 (setenta e sete) anos de idade, ex-Administrador do Montepio Geral, onde saiu há pouco tempo com uma indemnização de mais de 400.000 euros, acrescidos de varias reformas que tem, uma das quais do Banco de Portugal como ex-governador, logo que saiu do Montepio foi nomeado Administrador da EDP RENOVAVEIS, empresa do Grupo EDP.

Com mais este tacho dourado, lá vai sacar mais umas centenas de milhar de euros num emprego dado pela escumalha politica do governo, que continua a distribuir milhões pela cambada afecta aos partidos do centrão.

Entretanto o Zé vai empobrecendo cada vez mais, num pais com 20% de pobres, onde o desemprego caminha para niveis assustadores, onde os salários da maioria dos portugueses estão cada vez mais ao nivel da subsistência.

Silva Lopes foi o tal que afirmou ser necessário o congelamento de salários e o não aumento do salário mínimo nacional, por causa da competividade da economia portuguesa. Claro que para este senhor, o congelamento dos salários deve ser uma atitude a tomar, (desde que não congelem o dele, claro).

Quanto a FERNANDO GOMES, mais um comissário político do PS, recebeu em 2008, como administrador da GALP, mais de 4 milhões de euros de remunerações. Acresce a isto um PPR de 90.000 euros anuais, para quando o ” comissário PS ” for para a reforma. Claro que isto não

vai acontecer pois, tal como Silva Lopes, este senhor vai andar de tacho em tacho, tal como esta cambada de ex-politicos que perante a crise ” assobia para o ar “, sempre com os bolsos cheios com os milhões de euros que vão recebendo anualmente.

Estes senhores não têm vergonha na cara?

Reenvia aos teus contactos, divulguemos mais esta afronta…

ENCAMINHAR? CLARO!

EU ATÉ ENVIAVA PARA MARTE, JÚPITER, NEPTUNO, PLUTÃO E PARA A LONGÍNQUA ANDRÓMEDA!

ISTO MEUS AMIGOS NÃO É UMA VERGONHA, É UM ESCÂNDALO!

———————————————————————————————————-

Só para sua informação!!!!!!!!!

(Por email de José Xavier)

Uma cambada de bandidos ao saque dos nossos impostos…

Mais uma golpada – Jorge Viegas Vasconcelos despediu-se da ERSE…

É uma golpada com muita classe, e os golpistas somos nós….

Era uma vez um senhor chamado Jorge Viegas Vasconcelos, que era

presidente de uma coisa chamada ERSE, ou seja, Entidade Reguladora dos

Serviços Energéticos, organismo que praticamente ninguém conhece e,

dos que conhecem, poucos devem saber para o que serve.

Mas o que sabemos é que o senhor Vasconcelos pediu a demissão do seu

cargo porque, segundo consta, queria que os aumentos da electricidade

ainda fossem maiores. Ora, quando alguém se demite do seu emprego,

fá-lo por sua conta e risco, não lhe sendo devidos, pela entidade

empregador, quaisquer reparos, subsídios ou outros quaisquer

benefícios.

Porém, com o senhor Vasconcelos não foi assim. Na verdade, ele vai

para casa com 12 mil euros por mês – ou seja, 2.400 contos – durante o

máximo de dois anos, até encontrar um novo emprego.

Aqui, quem me ouve ou lê pergunta, ligeiramente confuso ou perplexo:

«Mas você não disse que o senhor Vasconcelos se despediu?».

E eu respondo: «Pois disse. Ele demitiu-se, isto é, despediu-se por

vontade própria!».

E você volta a questionar-me: «Então, porque fica o homem a receber os

tais 2.400contos por mês, durante dois anos? Qual é, neste país, o

trabalhador que se despede e fica a receber seja o que for?».

Se fizermos esta pergunta ao ministério da Economia, ele responderá,

como já respondeu, que «o regime aplicado aos membros do conselho de

administração da ERSE foi aprovado pela própria ERSE». E que, «de

acordo com artigo 28 dos Estatutos da ERSE, os membros do conselho de

administração estão sujeitos ao estatuto do gestor público em tudo o

que não resultar desses estatutos».

Ou seja: sempre que os estatutos da ERSE foram mais vantajosos para os

seus gestores, o estatuto de gestor público não se aplica.

Dizendo ainda melhor: o senhor Vasconcelos (que era presidente da ERSE

desde a sua fundação) e os seus amigos do conselho de administração,

apesar de terem o estatuto de gestores públicos, criaram um esquema

ainda mais vantajoso para si próprios, como seja, por exemplo, ficarem

com um ordenado milionário quando resolverem demitir-se dos seus

cargos. Com a bênção avalizadora, é claro, dos nossos excelsos

governantes.

Trata-se, obviamente, de um escândalo, de uma imoralidade sem limites,

de uma afronta a milhões de portugueses que sobrevivem com ordenados

baixíssimos e subsídios de desemprego miseráveis. Trata-se, em suma,

de um desenfreado, abusivo e desavergonhado abocanhar do erário

público. Mas, voltemos à nossa história.

O senhor Vasconcelos recebia 18 mil euros mensais, mais subsídio de

férias, subsídio de Natal e ajudas de custo. 18 mil euros seriam mais

de 3.600 contos, ou seja, mais de 120 contos por dia,  sem incluir os

subsídios de férias e Natal e ajudas de custo.

Aqui, uma pergunta se impõe: Afinal, o que é – e para que serve – a

ERSE? A missão da ERSE consiste em fazer cumprir as disposições

legislativas para o sector energético.

E pergunta você, que não é burro: «Mas para fazer cumprir a lei não

bastam os governos, os tribunais, a polícia, etc?». Parece que não.

A coisa funciona assim: após receber uma reclamação, a ERSE intervém

através da mediação e da tentativa de conciliação das partes

envolvidas. Antes, o consumidor tem de reclamar junto do prestador de

serviço.

Ou seja, a ERSE não serve para nada. Ou serve apenas para gastar somas

astronómicas com os seus administradores. Aliás, antes da questão dos

aumentos da electricidade, quem é que sabia que existia uma coisa

chamada ERSE? Até quando o povo português, cumprindo o seu papel de

pachorrento bovino, aguentará tão pesada canga? E tão descarado gozo?

Politicas à parte estou em crer que perante esta e outras, só falta

mesmo manifestarmos a nossa total indignação.

por Blogue da Emigração Publicado em Geral